Vamos cozinhar juntos?

 

Quando eu comecei a visualizar a cozinha terapia o que eu mais via por aí eram opções (e bem boas) de marmita. Eu amo cozinhar e, se a cozinha não é mesmo o seu cômodo favorito, eu vou adorar ir até a sua casa e cozinhar para você – se você morar na região parisiense… No entanto, o que mais me chamou atenção pelas minhas andanças no mundo virtual é como, cada vez mais, estamos entendendo que precisamos voltar dez casas no tabuleiro da vida e da alimentação. Como diz a diva/musa Rita Lobo, precisamos (e estamos) rever o consumo desenfreado de alimentos ultraprocessados e “o ato de cozinhar uma comida saudável deve ser estimulado. Dá para se alimentar bem e com praticidade”.

PRATICIDADE! Palavra de ordem. Praticidade e, a minha favorita, ressignificação. Hoje em dia estamos cada vez mais conscientes e o que eu mais quero a participar da sua jornada enquanto você recupera esse território, por vezes, tão temido: a cozinha.

Pinit

Que feminista moderna já não revirou os olhos ao ouvir o sofrido “já pode casar” quando se aventurava na cozinha? As habilidades culinárias das nossas avós eram super valorizadas, enquanto, para nós, é quase um orgulho dizer que não sabemos nem fritar um ovo. A mulher moderna é independente, trabalha duro, come em restaurantes ou saca uma comidinha prática de dentro do freezer.

O mundo deu mais algumas voltas e hoje em dia a mulher moderna, além de trabalhar duro, vai pra academia, faz pilates, terapia, toma Whey Protein e compra aquela marmita fitness/low carb porque quando ela vai para a cozinha é para sair algo digno de Master Chef. E o homem moderno? Quando faz mais do que um churrasco ou um macarrão quatro queijos é simplesmente declarado como o melhor dos seres humanos.

Vamos parar com estereótipos e vamos todos juntos para a cozinha. A família toda! Os modernos e os antiquados. Os da turma do low carb e os que não vivem sem um pãozinho. Vamos tomar um café, um chá, um suco (de verdade), uma água e descobrir juntos que nem todo enlatado é ruim, que o forno não é só pra fazer bolos e preparações complexas, que panela de pressão não explode do nada e que freezer e microondas podem (e devem) ser seus maiores aliados.

Os serviços da terapia da comida

  • Um bate papo na cozinha

Eu já disse aqui mil vezes sobre como, para mim, a cozinha é o cômodo mais amigável de uma casa, então, o que eu proponho aqui, para o nosso primeiro encontro, é um belo e longo papo na cozinha. Quero te contar a minha história e minhas descobertas. Quero saber o que você gosta e o que você procura. Quero revirar a sua cozinha e ressignificar as estratégias de funcionalidade dela. Em pouco tempo, este há de ser um habitat natural para você

Pinit
também.

  • Agora é comigo

Depois do nosso encontro a bola está no meu campo. Eu vou elaborar um plano de ataque com sugestões de receitas e dicas para colocarmos em prática juntos. Uma vez que estabelecermos o que vamos fazer juntos, eu mando uma lista de compras (que podemos fazer juntos e também desmistificar o supermercado) e passamos à ação.

  • Mão na massa

Agora vem a parte divertida. Vamos, literalmente, botar a sua cozinha para funcionar. Forno, fogão, microondas… você (e sua família, amigos, vizinhos) é quem manda. Sopas, tortas, omeletes, legumes, queijos, pães…… Cada encontro, novas descobertas.

Pinit

Para cozinharmos juntos, no mundo real ou no virtual, você pode mandar um e-mail para contact@luanasfoodtherapy.com ou preencher o formulário aqui.