Repolhada com molho de tomate (quase caseiro) – e suas sobras

Posted on 5 min read 674 views

 

Repolho é ótimo porque rende horrores. E rende uns papos também, mas em caso de pressa é só clicar aqui e correr pra receita.

 

Confesso que a primeira vez que eu comi repolho foi há uns 2 anos. Vocês sabem que meu caso de amor com os legumes é recente. Foi na casa de uma amiga. Ela tinha simplesmente refogado o repolho, colocado um pouco de molho de tomate e algumas especiarias. Falou molho de tomate, falou Luana. Assim foi bem fácil cair nas minhas graças.

Depois dessa experiência bem sucedida, criei coragem e comprei uma bela peça para fazer uns testes em casa. Vou ser bem honesta: eu não acho que o

Pinit
repolho seja um legume convidativo. Sei lá. Os pimentões ficam lá esbanjando suas cores ao lado de abobrinhas verdes brilhantes, cenouras num tom de laranja bronze e alfaces com suas folhas onduladas. Aí, lá pertinho, vemos aquelas bolas verde claras quase brancas (ou roxas), meio sem graça, animando as prateleiras invernais do supermercado. Não é pra menos que eu nunca tinha me empolgado.

Mas vocês já compraram um repolho inteiro? É um sonho! Pensa numa comida que rende. E é aí que entra a faca de dois gumes. É ótimo porque você cozinha, cozinha, cozinha e ainda tem repolho na geladeira. Mas, claro, tem que ser criativo pra diversificar e não enjoar, né? Semana passada o repolho estava em promoção e eu senti que era o momento de me jogar e aproveitar para compartilhar algumas das minhas receitas favoritas para você fazer render o repolho e inovar em um piscar de olhos.

Repolho é bom pra pele, pro estômago, pro sistema imunológico, pros ossos, pro coração… além de ser um alimento rico em fibras e de baixa caloria. Em termos de gosto eu não vejo muita diferença entre o branco e o roxo e acabo comprando em função do que estiver mais bonito (ou mais barato) – lembrando que eu ADORO uma comida roxa. Como os dois estavam o mesmo preço, e para o bem das fotos e dos posts, peguei um de cada.

Pinit
Papo furado à parte, o que seria essa tal “repolhada com molho de tomate” que está lá no título. Bom, repolhada foi a licença poética que eu dei à mim mesma, num misto de macarronada com repolho, porque quando eu vi o prato finalizado ficou parecido com o talharim au sugo. Claro que o repolho não substitui o macarrão. Repolho é repolho. Mas que fica uma delícia, isso fica. Além de ser quase tão fácil de fazer quanto o tal macarrão ao sugo.

Hora de botar a mão na massa, ou melhor, no repolho.

 

Repolhada com molho de tomate (quase caseiro) – e suas sobras

 

Pinit
Ingredientes

1/2 repolho

1 cebola

1 lata de tomate pelado (400g)

Sal e pimenta do reino a gosto

Manjericão (ou orégano)

*extra: queijo parmesão ralado para uma reviravolta com as sobras

Modo de fazer

Vamos usar 1/2 repolho. Exatamente! É um montão de repolho, mas já vamos fazer de baciada que é pra sobrar. Dá pra deixar pra marmita da semana ou segura a onda que tem uma sugestão de gourmetização com o que restar.

Aproveita a faca e a tábua e já pica uma cebola e a metade do repolho. Eu gosto da cebola em meias luas, mas quem prefere pode picar mais fininho. É pra fazer um refogado básico. O repolho eu cortei ao meio e depois em tiras de mais ou menos um dedo de espessura.

Pinit

Em uma panela grande coloque a cebola picada, uma pitada de sal e um findo de água. SIM! Aqui a gente refoga com água, mas você pode usar azeite de oliva (só pega leve na quantidade). Aqui é jogo rápido porque a gente só quer que a cebola amoleça um tiquinho e solte um pouco mais da água dela (e o sal ajuda nesse processo). Uns três minutinhos. Eu não tinha alho em casa, mas se você quiser/gostar/tiver pode colocar um dente de alho picado ou amassado nesse refogado que só agrega valor.

 

Quando a cebola murchar um pouquinho é hora de colocar o repolho na panela. Misture bem, acrescente 1/4 de xícara de água, tampe a panela e deixe cozinhar em fogo médio (pra alto) por cerca de 10 a 15 minutos (pode mexer de vez em quando). O tempo vai variar porque o ponto é uma questão de gosto. Eu prefiro o repolho bem molinho, então, deixo cozinhar bem. Mas pra quem curte mais ‘al dente’, pode deixar cozinhar menos. Vai experimentando e descubra o ponto que mais te agrada.

Pinit

Agora vamos ao molho de tomate quase caseiro. Se você tiver um belo molho na geladeira (ou freezer), manda ver. Por outro lado, se você não tem tempo, não tem paciência, ou se o molho caseiro acabou não se apavore. E também não recorra aos molhos prontos cheios de químicas e sabores artificiais. É aqui que entra a destreza de sempre ter uma lata de tomate pelado na dispensa. Foco no rótulo, hein? Os ingredientes tem que ser tomate e suco de tomate. Talvez sal. Nada além disso.

Lembra que estamos fazendo porção para um batalhão, então, pode usar a lata toda. Tomates e caldo na panela, mistura bem e é hora de temperar. Aqui a versão que eu tinha era de tomates inteiros, então, eu dou uma espatifada e cortada neles com a colher de pau (na panela mesmo). Ajuste o sal, acrescente uma boa dose de pimenta do reino (ou pimenta calabresa), manjericão ou orégano e pronto. Ah! Tenho uma diquinha, mas é totalmente opcional. Sempre que eu faço um molho de tomate simplezinho eu coloco uma colherinha de café de canela em pó. Sim, canela. Se você é turma canela, vai por mim. Deixe cozinhar mais uns 3 minutinhos só para apurar o gosto do tempero no molho e pronto. Já pode servir.

Pinit

A receita rendeu esse montão aí. Metade eu comi e a outra metade foi pra geladeira pra garantir a marmita de quinta-feira. No entanto, quando eu fui contar o sucesso da empreitada pra minha mãe eu tive uma ideia de gênio que é o duplo twist carpado que vai elevar o grau de gurmetização desse prato tão simples.

Você vai transferir essa maravilha para uma travessa que possa ir ao forno, ralar queijo parmesão (ou simplesmente colocar umas 2 ou 3 fatias de muçarela por cima) e levar para gratinar em forno pré aquecido (220°C) por uns 10 minutos. O tempo vai variar de um forno pra outro, então, fique de olho. Quando borbulhar e o queijo criar aquela crostinha suculenta, está pronto.

Peço, por favor, que façam essa versão gratinada e me mandem fotos para eu colocar aqui no blog já que quando eu tive a ideia genial eu já tinha comido a porção do dia e a marmita já estava na geladeira do trabalho.

Conto com vocês! 😉

signature

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comment
  • […] de tomate, que eu chamei de “repolhada” (misto de repolho com macarronada) – clica aqui pra pegar a receita – eu evoquei o milagre da multiplicação do repolho. Rende um montão, e isso é ótimo. Mas […]

Previous
“Cookie” docinho de aveia sem açúcar
Repolhada com molho de tomate (quase caseiro) – e suas sobras