Leite “condenado” (sem lactose/vegano)

Posted on 4 min read 70 views

 

Se o seu lado formiguinha alternativo já está aguçado de mais, pode clicar aqui e ir direto para a receita.

 

Quem me acompanha por aqui e pelo Instagram sabe que eu sou bem adepta do comer de tudo. No entanto, a minha ressalva não é o comer de tudo com moderação. Acho que entrar nessa filosofia, além de ser lugar comum, é muito perigoso porque o que é moderado para um, pode não ser para outro. Cada um tem um corpo, um metabolismo, uma vida além de vontades e necessidades diferentes. E não é a toa que eu falei em vontades… minha ressalva é justamente essa. Eu acho que cue cada um deve comer o que tem vontade.

Vou contar uma anedota de algo que aconteceu esse final de semana aqui na casa dos meus pais. Minha tia e prima vieram visitar a minha mãe. Papo vai, papo vem, a hora passa… meu pai pediu pizza. Sábado a noite. São Paulo. Não há nada mais prático e quase óbvio do que pedir uma pizza, certo? Eu AMO pizza! É a minha comida preferida da vida (amo mais que abóbora, dá pra acreditar?). Mas a questão é que, hoje em dia, eu me dou ao luxo de não gostar de qualquer pizza. Pizza pra mim é assunto sério e pizza não é comida de todos os dias. Pizza é pra comer quando eu tenho aquela vontade de algo especial, seja pelo motivo que for. Ou pizza é para aquele dia em que eu estou com vontade de comer A pizza. E pra mim é isso. Tem que ser A pizza. Pizza da padoca aqui da esquina (que é bem honesta, mas não faz o meu estilo) não é, para mim, A pizza e não me dá vontade de me lançar vorazmente em alguns pedaços. Quando eu optei por outro menu para o lanchinho, minha prima logo me pergunto se eu não gostava de pizza e eu, com toda a simplicidade e honestidade respondi que amo, mas que dessa pizza eu não gostava muito, então, não fazia questão. Essa pizza não ia me fazer feliz. Não era o que eu tinha vontade de comer naquela hora.

Pinit

É claro que essa reflexão meio Marie Kondo não é simples. Pelo menos pra mim, a grande dificuldade que eu tinha com alimentação era realmente identificar quando eu tinha vontade real de comer um doce, ou uma pizza, um hamburger, e quando eu fazia isso por impulso, tédio, gula, compulsão…………………

Pinit
Posto isso, vamos ao que interessa que é o tal do leite condenado*. Quem nunca mamou leite condensado na latinha não sabe o que é infância, nem o que é morrer de queimar a garganta com tanto açúcar. E antes de entrarmos em qualquer polêmica e chamar o leite condensado de inimigo, eu proponho um exercício. Vocês já leram o rótulo do leite condensado? Claro que é um alimento com alto teor de gordura e açúcar, mas já leram os ingredientes? Leite condensado não é nada mais do que uma mistura de leite com açúcar. Não precisa comer a lata toda e muito menos fazer isso com frequência, mas, de quando em vez, quando bate aquela vontade… porque não?

Mas aí, a doida, curiosa, metida a besta aqui se pergunta. Opa! Se é só leite com açúcar a gente pode tentar fazer em casa, né?

Pinit

E eu prometo que, se você tiver todos os TRÊS ingredientes em casa (sendo que um deles é água), fazer o leite condensado caseiro pode ser mais simples do que enfrentar a fila do supermercado. Isso sem falar que, como vamos fazer em casa, podemos inovar e fazer uma versão vegana e sem lactose, né? Simples não é sinônimo de banal.

Bom, chega de enrolação e vamos ao ataque!

Leite Condenado* (sem lactose/vegano)

Ingredientes
Pinit

1 xícara de leite de coco em pó* (ou qualquer outro leite em pó)

1/2 xícara de água quente

1/4 xícara de açúcar cristal

Modo de fazer

Antes de começar preciso dizer que a receita funciona com qualquer leite em pó, inclusive de vaca. Já testei com leite de cabra, soja e, por último, com leite de coco – que foi o resultado que eu mais gostei.

No mercado têm várias opções de leite em pó, inclusive sem lactose e de soja (vegano), mas eu tive dificuldade para encontrar o leite de coco em pó, sem contar que quando o encontrei era caríssimo. O meu veio daqui. Preço justo e entrega em todo o Brasil. Momento #ficaadica mesmo, não é publicidade, não.

Esse bate papo sobre encontrar o leite de coco em pó era necessário pois essa foi, literalmente, a parte mais difícil da receita (e agora até isso eu consegui facilitar pra você). Vou desenrolar o passo a passo para você entender:

Pinit
  • ferva cerca de 1 xícara de água (quando ela ferve evapora)
  • coloque 1/2 xícara dessa água fervendo (é muito importante que a água esteja fervendo) junto com os outros ingredientes no liquidificador (ou mixer) e bata bem até que todos os pós estejam totalmente diluídos.

Se você estiver usando leite de coco, aproveite o cheirinho incrível que sairá do seu liquidificador.

  • passe a mistura para um recipiente que feche bem e coloque na geladeira para firmar por cerca de duas horas

Quanto mais tempo ficar na geladeira, mais firme ele fica.

Pinit

E pronto! Faça brigadeiros, cobertura de bolo, beijinho, doce de leite, coma puro………………..

Que tal usar pra fazer uma calda para aquele bolo de dois ingredientes facinho e delicinha?

O leite condensado puro dura uns bons cinco dias na geladeira, mas duvido que você não use/coma antes.

signature

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Comments Yet.

Previous
Bolo de Chocolate com 2 Ingredientes
Leite “condenado” (sem lactose/vegano)