“Ceviche” vegano de banana-da-terra

Posted on 3 min read 441 views

 

O blá blá blá é curto, mas se você quiser pular direto para a receita clique aqui

“Mas você está de dieta e come fruta?”

“Pode qualquer fruta?”

“Ah, não! Banana, coco e abacate não pode de jeito nenhum!!!”

“Uva é uma bomba de açúcar!”

“Laranja é tão calórico quanto coca-cola.”

Os deuses sabem quanto eu ouvia (e ainda ouço) essas remarcas em relação à minha alimentação. Pois é… nesse nosso mundo moderno de dietas maluquinhas, até as frutas entraram na roda. Consideradas um crime por serem ricas em açúcar e carboidrato. Tenho certeza que você já ouviu muito falar sobre esse açúcar das frutas, tão temido pelos reféns da balança, a frutose, responsável “apenas” por fornecer energia para o nosso corpo e cérebro.

As frutas são parte super importante de uma alimentação balanceada e é aí que está o pulo do gato: balanceada. Equilíbrio é tudo, né? Qualquer alimento, em excesso, não faz bem (e emagrecer ou engordar é o último dos seus problemas), que seja o brigadeiro, o alface ou as deliciosas frutinhas.

Pinit

Sim, eu comi frutas durante e a minha dieta e como muitas frutas agora que não estou mais de dieta. Qualquer fruta! As que eu gostasse. Sem proibições malucas dentro do plano alimentar. Sou a doida da banana. Adoro coco. Belisco algumas uvas quase todos os dias. Piro nas frutas vermelhas que têm aqui na Europa. In natura, assadas, esmagadas. Elas são meu prazer docinho na vida. E eu gosto tanto, que uma das coisas que eu mais curto é experimentar com elas até em pratos salgados. Pêra, morango e romã na salada. Maçã na sopa de abóbora. Abacate no molho pesto. Banana no queijo quente. O céu é o limite.

Sabendo desse meu amor por frutas e da minha tara por bananas, há algumas semanas minha mãe me mandou uma receita de ceviche de banana-da-terra que saiu no site da Casa Vogue e olha que sorte a minha: eu tinha uma bela banana-da-terra dando sopa aqui em casa. Fiz algumas adaptações (poucas), então, se você quiser a receita original, clique aqui.

O meu “ceviche” vai entre aspas porque pra mim, pra chamar ceviche, tem que ter peixe, mas aceitei o termo porque o princípio do prato peruano é a marinada cítrica que vai, de certa forma, cozinhar o peixe. Aqui, a marinada cítrica vai tirar aquele ranço da banana da terra crua. E, a pesar de eu não praticar veganismo nem vegetarianismo, eu adoro quando consigo encontrar uma receita bacana e gostosa adaptada à todos os tipos de dietas.

Pinit
Pinit

 

 

Bom, vamos logo ao que interessa.

“Ceviche” de banana-da-terra

Ingredientes
Pinit

1 banana-da-terra

1/3 de cebola roxa

Suco de um limão siciliano

1/2 colher de café de pimenta calabresa

1/4 xícara de chá de salsinha

Sal a gosto

Modo de fazer

Juro que eu podia só escrever picar tudo e misturar que é basicamente isso, mas prezo pela vida deste blog, então, vou ser mais específica.

  1. Corte a banana em cubinhos (o tamanho vai do seu gosto, mas eu cortei a banana na metade, cada metade em dois e dessa metade dividida tirei meus “cubinhos”)
  2. Pique a cebola finamente (aqui o ideal é, realmente, picar bem picadinho)
  3. Em uma vasilha misture a banana e a cebola, junte o sal, a pimenta calabresa e o suco do limão. Misture bem e deixe marinando por cerca de 10 minutos.
  4. Antes de servir, junte a salsinha fresca picada e está mais do que pronto!

*  Sim, claro que você pode usar coentro no lugar da salsinha se você gostar. E você também pode picar a pimenta fresca (cuidado com as sementes que são a parte forte). Eu uso os flocos de pimenta calabresa porque adoro (inclusive, a minha eu compro na ingredientes online e é tão maravilhosa que eu faço contrabando dela aqui pra França e todo mundo pira). Adoro, é mais simples e evita que eu contamine as minhas mãos com pimenta e esfregue os olhos (sim, isso sempre acontece porque eu não tenho o dom de tirar pimenta das mãos simplesmente lavando – aceito sugestões).

Pinit

Tão fresco, saboroso, colorido e nutritivo. Duvido que você não esteja pronto para dar uma chance às frutas.

signature

What do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comment
  • Aldo Cruz
    julho 5, 2019

    Inspirador Luana. Vou fazer e depois te falo. Hoje no almoço lembrei de você. Aqui em Sampa tá um dia de cão, e eu, diferentemente de você, sou daqueles que só toma sopa no frio, ou na doença he he he…….. Claro que fiz uma delícia de sopa de abóbora com gengibre. Beijos. 2020 tá aí !

Previous
O puro creme de avelã com chocolate (a versão vegana/sem lactose daquele famosão)
“Ceviche” vegano de banana-da-terra